06 setembro 2018

Resenha: Por que fazemos o que fazemos? - Mario Sergio Cortella

Editora: Planeta de Livros
Autor(a): Mario Sergio Cortella
Páginas: 176
Skoob  / Comprar

Bateu aquela preguiça de ir para o escritório na segunda-feira? A falta de tempo virou uma constante? A rotina está tirando o prazer no dia a dia? Anda em dúvida sobre qual é o real objetivo de sua vida? O filósofo e escritor Mario Sergio Cortella desvenda em Por que fazemos o que fazemos? as principais preocupações com relação ao trabalho. Dividido em vinte capítulos, ele aborda questões como a importância de ter uma vida com propósito, a motivação em tempos difíceis, os valores e a lealdade – a si e ao seu emprego.
O livro é um verdadeiro manual para todo mundo que tem uma carreira mas vive se questionando sobre o presente e o futuro. Recheado de ensinamentos como “Paciência na turbulência, sabedoria na travessia”, é uma obra fundamental para quem sonha com realização profissional sem abrir mão da vida pessoal.

por que fazemos o que fazemos mario sergio cortella capa


“Por que fazemos o que fazemos?” escrito por Mario Sergio Cortella e publicado pela Editora Planeta, incita o leitor, durante seus 20 capítulos e pouco mais de 170 páginas, a reflexão sobre a sua vida, principalmente profissional, sobre o que nos motiva, desmotiva e as diversas inquietações que nos abate durante a nossa vida profissional, do início ao fim.
O primeiro ponto e possivelmente mais importante abordado pelo autor é o propósito, o que faz com que você acorde, enfrente um transito caótico, se submeta a uma jornada de pelo menos oito horas diárias para exercer aquela função. O que te motiva? O que te fazer continuar seguindo essa direção? Amor? Vocação? Dinheiro? Esse é o ponto crucial desta leitura e seremos guiados a meditar sobre isso sobre diversos pontos.
por que fazemos o que fazemos mario sergio cortella sinopse

Sendo Mario Sergio Cortella um filosofo, é esperado e enriquecedor as suas diversas citações filosóficas que te fazem refletir. Refletir sobre uma necessidade humana básica, porém que no século XXI, com os avanços tecnológicos tem se tornado ainda mais latente: a necessidade de se reconhecer e ser reconhecido em seu trabalho.
Anteriormente, com as famílias que detinham as manufaturas e os conhecimentos de determinadas funções, ou em alguns trabalhos mais artísticos e criativos, é mais fácil para o homem se ver no que faz, em seu trabalho. Por isso, atualmente existe tanta insatisfação pessoal, por não conseguir se manter motivado, por não ver o resultado dos seus esforços e ações.
Sobre a motivação, o autor reforça o quão intrínseco e pessoal é e o papel das corporações na motivação. O gestor, o RH, a diretoria possui o papel de estimular – seja através de metas alcançáveis, recompensas financeiras, recompensas sociais e quaisquer outros meios de fazer com que o profissional queira dar o seu melhor, alcançar um novo patamar. E cabe ao profissional, buscar, através dos inúmeros estímulos que lhe são oferecidos, vislumbrar novas formas de alcançar sempre o seu melhor desempenho. 
"Uma vida com propósito é aquela em que sou autor da minha própria vida. Eu não sou alguém que vou vivendo."
Na atualidade, nos ambientes corporativos, desempenho e resultados são diretamente ligados ao conhecimento e a inovação. A importância de se manter atualizado, aprendendo e trocando experiências, não apenas técnicas, mas de crescimento profissional é fundamental para que o profissional seja não apenas um bom técnico, mas possua as capacidades atualmente exigidas pelas empresas.
Quando se constrói uma carreira, existem momentos de crise, de desmotivação com diversas fontes. As crises financeiras que assolam os países, geram instabilidade e demissões em massa, o que gera mais desmotivação aos profissionais, com a expectativa de ficar desempregado e possuir piores condições de trabalho do que tinha anteriormente.
Sendo assim, durante o livro somos incitados a pensar sobre o que nos motiva, qual é o nosso propósito como profissionais e se as empresas estão alinhadas com os nossos propósitos, éticos, financeiros, de motivação, valores e visão. Ser realizado profissionalmente não é apenas uma questão financeira, mas sim, de se sentir motivado, parte de um todo, importante para a companhia, com a impressão de que por mais que não se faça sempre o que se gosta, goste do que se faça.
Muito do que sentimos com a leitura tem relação com o momento que vivemos. Quando li “ Por que fazemos o que fazemos?” estava em um momento de turbulência profissional e que me fazia questionar diversas coisas, mas quando reli partes desse livro para a faculdade em um outro momento, minhas inclinações foram outras.
O livro possui capítulos curtos, simples, mas não simplórios. Por traz de cada reflexão proposta, Mario Sergio Cortella nos brinda com uma série de citações filosóficas e históricas.
Desta forma, “Por que fazemos o que fazemos?” é um bom livro para ser lido e relido, porque o livro sempre será o mesmo, mas a pessoa que o lê não. 
por que fazemos o que fazemos mario sergio cortella trecho


Se vocês gostaram desse post, compartilhe com seus amigos e deixe seu comentário aqui embaixo, desta forma, você me ajuda a manter o blog atualizado!

2 comentários:

  1. adorei sua resenha! tô com esse livro no kindle esperando pra ser lido (junto com muitos outros na mesma situação, hahah) mas tenho me interessado bastante por esses livros que nos levam ao autoconhecimento pra melhorar a rotina/trabalho e afins, vontade de começar já a leitura dele :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Esse livro é repleto de dicas e reflexões que valem para qualquer etapa da vida, principalmente profissional.

      Obrigada por comentar <3

      Excluir

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design