05 agosto 2013

Resenha:Memórias Fictícias

"Seja bem-vindo, meu caro livro, às minhas memórias fictícias."


Quatro diários. Três seres. Uma busca em comum: chegar à superfície da realidade. Uma torre, um lago de cristal, olhos de universo presentes em tempos diversos, em vidas cruzadas e em memórias fictícias. Um mundo imaginário perdido no limbo de uma casa que abrigara relações misteriosas de uma família. Até que ponto suas memórias são verdadeiras? Através dos relatos de Coralina de Lilá, Bianca Giacomina e Érus atravessamos o fino limiar entre realidade e ficção.

Se eu pudesse descrever o livro em uma palavra diria que é um livro profundo.
O livro conta a história de Coralina de Lilá, que me lembrou demais o nome da autora, e ela se muda com sua mãe, Tarsila, para a casa da tia de sua mãe, uma freira Bianca Giacomino.A casa seria uma casa normal se não fosse por uma torre que chama a atenção de Coral , e através disso a estória se desenrola.
Coralina é uma personagem que apesar de tamanha petulância, curiosidade, ousadia, ambígua e tantas outras características, me conectei a ela de cara. Gosto de seus questionamentos e apesar da ausência de semelhanças entre nós, eu tenho que concordar que essa forma de agir e pensar dela.No princípio achei que ela fosse uma adolescente normal, comum, repleta de tédio e resistência em se mudar, mas no fim ela não era.
Coralina e toda sua curiosidade resolvem conhecer a torre, e ai é que a estória começou a se tornar perturbadora. Na torre, ela conhece Érus, que definitivamente não é humano e de acordo com a sua descrição deveria ser um tanto perturbador apesar de belo. E ela se encanta, se apaixona e o deseja, e parece ser retribuída.
Érus é um personagem perturbador, misterioso, que me deixa com medo e encantada, assim como a protagonista. Gostaria de conhece-lo, e penetrar em seus segredos, mas isto não é possível.Ele tem um ar malvado, talvez seja a descrição de sua risada ou não sei.A questão é que eu me apaixono por ele quanto mais o conheço.
Tudo entre os dois ocorre rapidamente, mas rápido que eu podia conceber.Creio que a autora poderia ter se alongado.Eu queria mais.
E temos os outros diários, que serve para que saibamos o princípio, o por quê. Eu estou realmente encantada por esse mundo, a união de sentimentos e a forma em que todos tem culpa pelo que ocorre.
A verdade é que o livro mexe com seu psicológico, principalmente no diário de Coralina, e isso me perturbou porque eu me sentia como a protagonista, vivendo em dois mundos.
O livro é bom, a escrita é rebuscada, repleta de detalhes, fluída, além de fazer como que você se conecte e acredite em tudo o que a autora lhe mostra, ao ponto de não entrar de verdade na mente dos personagens.
O livro possui alguns erros de revisão e furos pequenos mas que ao sair do transe me deixavam irritada.
Além de tudo isso o livro nos faz refletir sobre vícios e sobre a linha tênue que separa a razão da fantasia.Sobre hospício, sobre a loucura, sobre o quanto a ignorância é um mal.
A autora me conquistou e o livro também, espero poder ler outros da autora em breve.

"(...)Pois, naquela noite, ele me amou de verdade, se doou a mim;assim como eu o fiz, no que pensava ser pra sempre."

4 comentários:

  1. Adorei sua resenha!

    Já vi em vários blogs falando deste livro, inclusive muito bem falado. Interessante o ponto em que o livro destaca e separa a razão da fantasia.
    Acredito - e pretendo - ler Memórias Fictícias no futuro. Parece ser uma obra bastante inspiradora e boa!

    Beijos.
    http://umajovemleitora.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  2. Seguindo. <3 http://nahboaoi.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  3. Oi Ana-chan :)
    Então, eu ainda não tinha lido nenhuma resenha do livro e desconhecia sua existência. A capa do livro é muito linda. *o*
    Fico em cima do muro com relação a leitura dele. Infelizmente, a Novo Século anda pecando demais em relação aos erros gramaticais e de pontuação. Sei que ela é praticamente a única editora que investe nos jovens escritores, mas eles precisam ter em mente que esses erros acabam afastando os leitores. Eles precisam ficar mais atentos quanto a impressão.
    Sinto como se o enredo da obra fosse confuso e isso me frustra. Quero ter futuramente a oportunidade de ler esse livro, mas não quero me decepcionar, sabe.
    Parabéns pela sua resenha Ana-chan. Encontrei só uns dois errinhos de português, mas todo mundo erra na hora de publicá-lo, né? Que as suas resenhas continuam sendo fantásticas e que o blog cresça cada vez mais. Bjs :*

    http://peregrinodanoite.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  4. este livro não mi agradou muito mais parece ser uma leitura bem legal...
    Não curto muitos livros que tem a escrita rebuscada sei la li alguns livros com este tipo de escrita e não gostei...
    Mais pq nao da uma chance a este livro sua resenha ficou bem legal *--*

    ResponderExcluir

Obrigada por lerem! Comentem e deixem seus blogs, vou visitar com toda certeza, e voltem sempre.

Design e Ilustrações por Ilustranos ♥ Desenvolvimento por Moonly Design